sexta-feira, 10 de julho de 2009

A bola rola... foi dado o pontapé inicial...


Estamos em Coimbra. Precisamente na respeitada Faculdade de Direito. Nesta Escola corroborei uma tendência que, desde os tempos de universitário, travei contra uma velha doutrina, afirmada pelo Professor Serrano Neves, de que em assuntos de direito penal, "valhem os argumentos das autoridades e não as autoridades dos argumentos". E com esse "slogan" posso dizer que iniciei minha carreira como pesquisador.
Nesta primeira postagem, deixo a minha apresentação àquele que sempre me incentivou à docência, meu Mestre de Direito Penal, PROFESSOR DOUTOR COSTA ANDRADE:
"[...] vai para quatro anos, vi o jovem Leonardo entrar na sala de Mestrado da Faculdade de Coimbra e sentar-se ao fundo da mesa, como quem procura ocultar-se atrás de uma cortina de discrição. Só que em vão, uma vez que ele trazia no olhar o brilho e o fulgor daquela luz que, como diz o Evangelho, não é possível ocultar debaixo do alqueire. Como trazia, indisfarçavelmente estampado no rosto, uma alma marcada pela ambição e a deixar desvelar futuro. Tudo impressões que se foram avivando e consolidando com o passar dos dias e das aulas, do estudo e das tarefas de investigação, ao longo das quais Leonardo foi permanentemente surpreendendo com uma inesgotável e sempre nova vontade de aprender, uma irrepremível pulsão para intervir, de argumentar e, mesmo, de explicar aos colegas. Quando, como professor, sentia a necessidade de me virar para a turma e de a interpelar, à procura de contraponto, de crítica, de complemento, de confirmação ou infirmação das idéias lançadas para a mesa, tinha certeza de que nunca ficaria desamparado, frente-a-frente com o silêncio e a ausência. Do gesto tímido e da palavra segura do fundo da mesa vinha sempre um argumento, uma objecção, um lado da realidade não contemplado, uma dimensão do problema deixada a descoberto, uma aparente debilidade da dourina exposta, um estímulo interminável ao diálogo, um desafio indeclinável para continuar a procurar e a fazer caminho [...]".
É no contexto retratado pelo Professor Costa Andrade, cujas palavras fazem parte do prefácio da minha dissertação, que entro no mundo virtual. E em boa hora. Afastado das atividades profissionais tendo em vista seleção para o doutorado, vou utilizar este recurso como minha sala de aula e com um único objetivo: estudar o direito penal. Espero que seja útil.

Um comentário:

  1. Grande De Bem!
    Sucesso nessa nova batalha.
    Força!

    ResponderExcluir